AGREGA continua

Valcleir, agricultor orgânico em Afogados da Ingazeira avalia tamanho e qualidade dos seus peixes. Foto: Christoph Ostendorf

A primeira fase do projeto AGREGA – Agroecologica com Energias Alternativas durou de setembro de 2018 a fevereiro de 2020 e contou com o apoio do Ministério de Cooperação da Alemanha. A partir de março de 2020 o CCBA continua reforçando articulações de grupos e projetos nos municípios de Exu, Afogados da Ingazeira, Pesqueira e Brejo da Madre de Deus e na região do semiárido pernambucano.

O principal foco dos nossos trabalhos está atualmente no desenvolvimento de projetos integrados de piscicultura familiar com irrigação e/ou aquaponia para o cultivo agroecológico com apoio de energias alternativas para enfrentar os desafios das Mudanças Climáticas no Nordeste brasileiro.

Utiliza-se a energia solar tanto para bombas dos sistemas de piscicultura, aquaponia e irrigação como também para pequenos freezers que as famílias e grupos ganharam para conservar peixes e outros produtos perecíveis da produção agroecológica.

A agricultora Hosana em Afogados experimenta com a Aquaponia que é uma combinação da piscicultura com o cultivo de hortaliças através da recirculação de água. Neste sistema não são usados nem adubo químico, nem agrotóxicos e uma grande vantagem consiste na economia da água que tanto serve para a criação das tilápias como para a produção de hortaliças. Observa-se ainda que o alface neste sistema cresce em 30 dias enquanto no cultivo normal ele precisa de cerca de 45 dias. Foto: Christoph Ostendorf.

Contamos nesta segunda fase do projeto AGREGA com o apoio da Brasilieninitiative Freiburg, o Ministério do Exterior da Alemanha e a cooperação com a Universidade Federal Rural de Pernambuco em Serra Talhada e Recife. Acompanhem as notícias sobre os nossos projetos neste site.

Deixe uma resposta