Agroecologia: fortalecendo a agricultura familiar em Pernambuco

CCBA aposta desde 2018 em projeto que contribui para uma ação em agroecologia com energias renováveis no estado

por Catarina de Angola

O mundo passa por um forte contexto de mudanças no clima. E esse já não é mais um debate pautado apenas pela ciência. No dia a dia, a população já sente os efeitos dessas mudanças em suas vidas, seja por uma maior irregularidade das chuvas, seja por fortes ondas de calor ou mais frio, variando esses efeitos entre países e regiões, o que também impacta na produção de alimentos. Portanto, o debate sobre a necessidade de uma maior atenção às práticas individuais e coletivas de preservação do meio ambiente vem ganhando cada vez mais força. E no campo da agricultura, a Agroecologia vem se consolidando como ciência e prática capaz de alimentar o mundo ao mesmo tempo que fomenta um equilíbrio ambiental. 

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), inclusive, destacou a importância na Agroecologia como chave para acabar com a fome em países da América Latina e Caribe. Para a FAO, a Agroecologia permite o desenvolvimento sustentável da agricultura e a formação de sistemas alimentares inclusivos e eficientes aliado à proteção dos recursos naturais. No Brasil, há anos que a Agroecologia vem se fortalecendo na prática da agricultura familiar, desenvolvendo experiências mais sustentáveis e valorizando os saberes locais. E o estado de Pernambuco apresenta diversas experiências da agricultura familiar em Agroecologia, assim como atuação de organizações que apoiam ações nessa natureza. 

Espaço Agroecológico das Graças, no Recife. Foto: Acervo Centro Sabiá

A materialização dessas experiências e sua relação com as cidades se dão através das feiras agroecológicas. Recife, por exemplo, abriga o primeiro espaço de comercialização agroecológica de Pernambuco, o Espaço Agroecológico, no bairro das Graças, iniciativa que já tem 21 anos, e que cresceu e consolidou a Rede Espaço Agroecológico. Hoje a rede conta com cinco feiras agroecológicas e um espaço fixo de comercialização, a Agroecoloja, na capital do estado. Em todo o Pernambuco, muitas outras feiras agroecológicas têm se consolidado e cada vez mais sentindo uma necessidade de ampliação, principalmente nas grandes cidades. Confira alguns endereços de feiras agroecológicas aqui.

Com o intuito de fortalecer experiências no campo da Agroecologia, aliando as energias renováveis, o CCBA – Centro Cultural Brasil – Alemanha e a ONG alemã Brasilieninitiative Freiburg e.V. iniciaram no final de 2018 o Projeto AGREGA – Agroecologia com Energias Renováveis, que conta com o apoio do Governo Alemão. A iniciativa aposta em pequenos projetos decentralizados introduzidos e geridos pelos próprios agricultores e agricultoras dos municípios de Exu, Afogados da Ingazeira, Pesqueira e Brejo da Madre de Deus e suas associações. A iniciativa ainda conta com a parceria da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), da Diaconia e de associações e articulações na área de agroecologia. 

O fortalecimento da Agroecologia no Brasil também fomentou a pesquisa na área ao longo dos últimos anos. Com isso, surgiram no país cursos formações e pós-graduações em Agroecologia. Em Pernambuco a UFRPE inicia este ano o novo Bacharelado em Agroecologia, Campesinato e Educação Popular, que priorizou em sua seleção o ingresso de agricultoras e agricultores familiares. 

A proposta, que teve em sua concepção a participação de organizações e movimentos sociais, tem o objetivo de incentivar uma formação com a perspectiva da educação popular, com um modelo pedagógico diferenciado, com foco no diálogo e na realidade dos estudantes, articulado à educação do campo. Para isso, tem o formato de pedagogia da alternância, com tempo de estudo entre a universidade e a comunidade, através de recursos da educação a distância.

A proposta é uma possibilidade de partilha do conhecimento entre academia e agricultura familiar. Possibilitando a valorização do saber popular de agricultores e agricultoras dentro da universidade, assim como a pesquisa atuando na valorização de esse conhecimento e contribuindo para sua multiplicação. 

No entanto, desafios estão postos para a Agroecologia e os sujeitos sociais que com ela trabalham ou desenvolvem ações. Para Alexandre Henrique Pires, coordenador da organização centro Sabiá, que desenvolve ações com agroecologia há 25 anos no estado, e integrante da coordenação da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), algumas ações são necessárias, numa relação entre o estado e a sociedade civil. Em recente artigo 1, ele elencou que entre os desafios estão a atualização do Plano Estadual de Convivência com o Semiárido; a atualização da Política Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca; a regulamentação da Política Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) e a construção do Plano e da Política Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica. 

Alexandre Pires, do Centro Sabiá, elenca desafios da Agroecologia em Pernambuco. | Foto: Acervo ASA

Para ele, essas são ações importantes e que se estruturadas terão um impacto positivo para o desenvolvimento da agricultura e da Agroecologia, considerando as especificidades de regiões como o Semiárido. Alexandre Pires destaca ainda que esses desafios requerem dos gestores de Pernambuco “mais que compromisso e coragem, mas ousadia, criatividade e a capacidade de diálogo, para construir um processo participativo com as organizações e movimentos sociais do estado”, afirmou. 

Ao final do ano de 2018, foi criada na Assembleia Legislativa de Pernambuco a Comissão Especial de Agroecologia e Produção Orgânica, presidida pelo deputado Isaltino Nascimento (PSB), apresentada com o objetivo de trabalhar e elaborar o Plano Estadual de Agroecologia. 

Informações agroecológicas – Para acompanhar notícias sobre agroecologia no estado, o site do Projeto AGREGA – Agroecologia e Energias Renováveis é um espaço que vai acompanhar a dinâmica de implementação de projetos em agroecologia e energias renováveis em quatro municípios de Pernambuco. Acesso no endereço: http://www.agrega.org.br

Outro espaço para mais informações sobre agroecologia é a Rádio Web Agroecologia. Realizada pelo Núcleo de Agroecologia e Campesinato da UFRPE, a rádio traz em sua programação online entrevistas, notícias e resultados de pesquisas na área da agroecologia em Pernambuco. Para conferir é só acessar o endereço: http://radiowebagroecologia.com.br


1 Artigo publicado no Brasil de Fato

Deixe uma resposta